• RADAR

Metáforas da Cor

A pesquisa Metáfotas da Cor: Morenidade e territórios da negritude nas construções de identidades negras na Amazônia paraense, aborda a questão de ser negro(a) no Pará e de como a sua presença até hoje é invisibilizada na história da Amazônia, em especial na capital paraense, tornou-se a questão central para que se indague sobre as construções de “moreno” e “morena”, visto que ser moreno(a) é marca identitária local a partir de suas metáforas e hipérboles compartilhadas/ manipuladas cultural, política e simbolicamente que, em um processo nada linear, fundamenta o “mito indígena” como presença marcante e (quase) exclusiva de/para a identidade amazônica.


A autoria do estudo é de Mônica Conrado e Marilu Campelo, professoras da Universidade Federal do Pará, e Alan Ribeiro, doutorando em Educação pela Universidade de São Paulo.


O texto completo pode ser acessado no link: https://www.redalyc.org/pdf/770/77050451007.pdf


Trabalhadora paraense durante colheita de açaí. Belém, Pará. Foto: Carol Peres.

0 visualização